Voltar
06 de janeiro de 2018

Crianças do Instituto do Câncer Infantil treinam famosos em campeonato de taco na beira da praia

O 2º Tacobol Lebes ocorreu nas areias de Capão da Canoa na tarde deste sábado

Tais da Costa Silva, 8 anos, não conseguiu ficar sentada no banco. De pé na beira da quadra, gritou o tempo inteiro com o seu time, que saiu perdendo por dois pontos. Ela engrossou a voz e fez cara de poucos amigos em alguns momentos, mas também correu para alcançar um copo d’água aos atletas, preocupada com a hidratação deles.

– Estava tentando dizer para eles não desistirem. Se a gente desistir, a gente nunca vai conseguir o que quer – justificou a menina de Paverama após seu time ganhar de virada na estreia, por 7 a 2.

Diagnosticada com osteossarcoma em dezembro de 2015, doença que levou à amputação de sua perna e demandou dez meses de tratamento, Tais era uma das oito crianças atendidas pelo Instituto do Câncer Infantil que participaram de um campeonato de taco na tarde de sábado nas areias de Capão da Canoa. No 2º Tacobol Lebes, os baixinhos que venceram a doença ou estão em fase final do tratamento tornaram-se técnicos de duplas formadas por comunicadores, atletas e celebridades gaúchas. O objetivo do evento era promover a reinserção social, mudando o foco diário da doença.

A postura da menina surpreendeu o campeão tricolor da América Carlos Miguel, acostumado com técnicos exigentes.

– Ela é o Felipão. Cobra bastante, mas é carinhosa – compara o ex-jogador.

VÍDEO COM GURI DE URUGUAIANA

Entre nomes como MC Jean Paul, o ex-jogador de futebol Tinga, o comediante Cris Pereira e o ex-judoca João Derly, quem também participou, pelo segundo ano, foi o Guri de Uruguaiana, com bombacha na areia e muito suor debaixo do bigode espesso. O primeiro lance da competição inclusive foi protagonizada por ele – uma bela tacada no ar, enquanto a bola passava alguns centímetros ao lado, incólume. A brincadeira é divertida, mas o melhor é a causa.

– As crianças estão vivendo esse processo há muito tempo, desde a escolha das duplas. Agora estão curtindo o momento e vão levar por muito tempo essa energia positiva – observou o artista Jair Kobe, que encarna o personagem gaudério.

 

Elaine Laviski, 36 anos, mãe do técnico mirim Fernando, 12 anos, pode atestar essa alegria. Vindo de São Leopoldo, o menino comandou seu time com um discurso mais brando (“o importante é competir”), pediu autógrafos dos seus ídolos e estava também ansioso para dar um mergulho no mar ao fim da competição – o médico liberou, depois de dois anos sem poder entrar na água em razão da leucemia.

– Tá se achando hoje – diverte-se a mãe.

No final das contas, quem ganhou a competição foi o time da técnica mais animada. Tais entrou correndo no campo para abraçar Carlos Miguel e Ki Fornari. Mais uma lição que a menina deixou nas areias de Capão:

– Quando alguém começa a entusiasmar a outra pessoa, a torcer, ela se sente mais forte.

Fonte: https://gauchazh.clicrbs.com.br/comportamento/verao/noticia/2018/01/criancas-com-cancer-treinam-famosos-em-campeonato-de-taco-na-beira-da-praia-cjc3rasyl011101pshvnf7hk7.html

Voltar para notícias