Voltar
14 de janeiro de 2019

Esporte, diversão e superação: tacobol movimenta Capão da Canoa

Evento é realizado em parceria com o Instituto do Câncer Infantil de Porto Alegre

Ex-jogador do Grêmio Carlos Miguel participou do evento | Foto: Guilherme Almeida

 

O sorriso de Daniela Gonçalves, 12 anos, ao pisar na areia fofa e, pela primeira vez, ver o mar, em Capão da Canoa, no Litoral Norte, na manhã de sábado, só não foi maior do que o de João Henrique Amaral Teles, 13, quando descobriu que teria em seu time o Guri de Uruguaiana. Foi a terceira edição do Tacobol Lebes, realizado em parceria com o Instituto do Câncer Infantil (ICI) de Porto Alegre.

O evento, que contou com atletas, influenciadores digitais e pessoas de renome da comunidade, promoveu a reinserção social das crianças em fase final de tratamento. Oito crianças do instituto foram as técnicas dos competidores e responsáveis pela motivação e incentivo durante as partidas Para marcar os pontos, cada dupla precisou correr até o treinador – que estava na lateral da quadra e bater na sua mão.

João Henrique, morador de Novo Hamburgo, ficou ao lado da influencer Juliana Barsante e do Guri de Uruguaiana. “O jogo foi bem competitivo, com bastante gente assistindo, mas infelizmente não conseguimos ganhar. Saímos perdendo e não alcançamos os adversários”, pondera o garoto que lutou contra um câncer no joelho e também nos pulmões. Porém, de acordo com ele, valeu a diversão. “Estou muito feliz”, exclamou.

Participante das três edições, o Guri chegou ao evento de bota e bombacha. Animado, brincou com as crianças e tirou fotos com os espectadores. “É o terceiro ano que venho e o terceiro que perco, tive atletas preparados. Foram de 10 a 15 minutos de corrida. Nosso azar foi o sorteio da dupla adversária”, brincou. Ele elogiou a organização da atividade, não apenas pelo Tacobol, mas por toda onda positiva que gera nas crianças: “Eles curtem, depois das atividades por um bom tempo. Gera boas conversas, fotos e vídeos. Gera engajamento”, detalhou.

Segundo o coordenador de pesquisa científica do ICI, o médico André Brunetto, o momento de esporte e alegria proporciona momentos de alegria para os pequenos lutadores. “Eles têm condições socioeconômicas difíceis, além de uma história de vida de muita superação. Eventos como esse os fazem esquecer um pouco dos problemas”, enalteceu.

De acordo com o profissional, as crianças também ensinam plateia e participantes a terem coragem de enfrentar os desafios. “Tu vê uma menina com uma perna mecânica sorrindo, pulando, seguindo em frente. Eles dão exemplo de superação para nós adultos, que muitas vezes nos queixamos dos problemas.”

Fonte: Correio do Povo

Voltar para notícias