Voltar
20 de dezembro de 2021

Rede gaúcha já vendeu R$ 6 milhões só em bicicletas em 2021

Se o mercado de carros novos é afetado por falta de semicondutores – que já provocou a paralisação da produção na fábrica da General Motors em Gravataí -, o de bicicletas voa. Que o diga uma das maiores redes de varejo do Rio Grande do Sul, que faturou até outubro R$ 6 milhões com a venda das magrelas.
De janeiro ao mês passado, a Lojas Lebes teve alta de 76% no comércio das bikes e para todas as faixas e estilos e, claro, objetivos, seja para lazer, alternativa de mobilidade e para trabalho, como as tele-entregas feitas com o veículo sustentável ambientalmente.
Outro detalhe, segundo informação repassada à coluna, é que os dados se referem a compras em lojas físicas. Ou seja, o consumidor pode comprar e sair pedalando.
Somente para a temporada do Dia das Crianças, o caixa da Lebes teve ingresso de R$ 2 milhões com as bicicletas vendidas, um terço do tíquete total a comercialização nos primeiros dez meses do ano. A data promocional vende 85% mais em relação à edição do ano passado.
A Lebes, com 200 filiais entre o Estado e Santa Catarina, pedala acima do desempenho médio do País. A rede cita, com base em dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), que a alta média de vendas no setor é 50% este ano em relação a 2020, que também é bem acima da média de elevação de 15% dos últimos cinco anos.
O Brasil, segundo a Abracio, já teria 70 milhões de bikes. E segundo a Abracio (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares), a frota de bicicletas no Brasil já está em 70 milhões.
O presidente da rede, Otelmo Drebes, projetou em nota, que o ano deve fechar com aumento de até 90% no segmento. Para Drebes, é a combinação perfeita entre alternativa de mobilidade e ferramenta para gerar renda, atividade que faz bem à saúde e ainda contribui para reduzir emissões de gases de efeito estufa.
Fonte: Jornal do Comércio
Voltar para notícias